loader

Conheça nossa trajetóriaConheça nossa trajetória

Os Palhaços Sem Fronteiras tem início em 1993, quando o artista catalão Tortell Poltrona foi convidado a realizar uma expedição no campo de refugiados de Veli Joze (Savudrija) na Croácia por um coletivo de educadores que desenvolviam um programa pela paz nas escolas da Catalunha e que estavam em contato com escolas da antiga Iugoslávia, que naquele momento, encontrava-se em situação de guerra.

Tal experiência fundamentou as bases para a constituição da entidade, pois demonstrou a necessidade e a importância da realização de atividades artísticas e socioeducativas que tenham o intuito de melhorar a situação psicológica e emocional das populações durante e pós-conflitos.

Depois disso, artistas de diversos países passaram a realizar trabalhos similares, fazendo com que a ideia se difundisse e com que instituições locais fossem fundadas com as mesmas diretrizes, em consonância aos Palhaços Sem Fronteiras Espanha (Payasos Sin Fronteras España).

Em 2012, as unidades existentes dos Palhaços Sem Fronteiras de todo o mundo percebendo a necessidade de uma organização supranacional que fosse capaz de facilitar a comunicação e cooperação entre as partes, além de proteger, coordenar e apoiar a identidade comum das futuras organizações do Palhaços Sem Fronteira, fundam os Palhaços Sem Fronteiras Internacional – Clowns Without Boders International (CWBI).

CWBI é sediado na Espanha e composto atualmente por 14 países: Austrália, Bélgica, Canadá, Finlândia, França, Alemanha, Irlanda, Espanha, África do Sul, Suécia, Reino Unido, Estados Unidos da América, Suíça e Brasil, o primeiro país da América Latina a fazer parte da entidade internacional, desde maio de 2016.

Todas as seções da CWBI são não-governamentais, independentes e sem fins lucrativos, sem filiação religiosa ou político-partidária.

Palhaços Sem Fronteiras Brasil

AtuaçãoAtuação

Atuação

Quando

Atuamos em resposta a situações de crise e emergência e temos como foco as crianças, adolescentes e seu entorno familiar e comunitário. Entramos em ação quando as necessidades básicas das pessoas, tais como abrigo, água, comida, vestimenta e cuidados de higiene e de saúde já foram atendidas. Todas as pessoas são capazes e possuem recursos para enfrentar os desafios da vida. No entanto, a exposição constante a situações difíceis e circunstâncias críticas costumam demandar auxílio adicional para enfrentamento das adversidades.

Onde

Atuamos em contextos regionais de conflitos violentos, crimes ambientais, desastres naturais ou vulnerabilidade social em que as pessoas estão excluídas dos direitos de cidadania básicos. Desenvolvemos ações no território nacional e em países do sul global, principalmente na América Latina.

Como

Nossa atividade ocorre em cooperação com agentes sociais que conhecem as realidades e dificuldades experimentadas pelas populações atendidas. Em conjunto com esses agentes, somamos esforços para redução de traumas. Por meio de espetáculos artísticos e atividades pedagógicas promovemos o fortalecimento dos vínculos comunitários e sociais que ajudam a fomentar ambientes acolhedores e seguros, essenciais ao suporte emocional.

Para quem

Para quem

Atuamos para públicos em situação de vulnerabilidade social de diferentes localidades, pessoas que tiveram seus direitos fundamentais violados. Uma vez que nosso objetivo é promover o bem-estar dessas populações, jamais forçamos a recepção de nossas intervenções e atuamos exclusivamente em conformidade com o desejo e interesse das pessoas atendidas. Acreditamos na construção de uma sociedade pacífica, solidária e sustentável e defendemos que a arte pode ser uma ferramenta de apoio para superação de experiências angustiantes, para fortalecer a autoestima e o sentido de coletividade. Nossa intervenção é pontual e por um breve período de tempo, por isso fomentamos a autonomia para que as pessoas possam se auto ajudar a partir dos recursos que tiverem disponíveis.

Além disso, nosso trabalho se baseia na Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança e nas 17 metas globais da Agenda 2030 e se concentra especialmente em:

Uma onda de Esperança Espalhada Nas

Uma onda de Esperança Espalhada Nas
5 regiões brasileiras e América Latina

Uma onda de Esperança Espalhada Nas